quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Semana Mundial de Aleitamento Materno – oportunidade para ação conjunta

Em 2017 celebra-se o 25º aniversário da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) que busca desencadear ações conjuntas em prol da amamentação. A proteção, promoção e apoio da amamentação são os três pilares fundamentais para aumentar e consolidar as taxas de aleitamento materno, tanto em países em desenvolvimento como em países desenvolvidos. A SMAM é o momento mais importante no ano para a promoção da amamentação em todos os meios de comunicação que tenhamos acesso.
Objetivos
  1. Buscar o apoio dos governos e diversos setores da sociedade para promover, proteger e apoiar a amamentação.
  2. Construir alianças sem conflitos de interesses para fortalecer as políticas e programas de aleitamento materno e alimentação infantil.
  3. Mobilizar e desenvolver ações para a promoção, proteção e apoio à amamentação e práticas adequadas de alimentação infantil.
FOLDER SMAM 2017 (Brasil)
“Proteger a amamentação: construindo alianças sem conflitos de interesses”.

Créditos: CEFEMINA (texto), FABIANA MÜLLER (tradução), ALESSANDRA RIVERO HERNANDEZ (revisão da tradução), LUCÉLIA FERNANDES (editoração), MARINA REA (finalização), FERNANDA SÁ (fotos folder), RETRATUS (foto capa)



Cadeira de Rodas X Invalidez

Desde que iniciei minha atuação na área de direito médico, já presenciei diversas formas de como as pessoas enfrentam o uso da cadeira de rodas.

Confesso que o entendimento do público geral, que não utiliza cadeira de rodas, ou não convive com o cadeirante nunca me preocupou....
.
Entretanto, me alarma a falta de conhecimento a respeito desse equipamento por parte das pessoas que são usuárias ou que convivem com portadores de necessidades especiais, sobretudo, mães de crianças especiais.

A rejeição do uso da cadeira de rodas é presente em praticamente todas as mães de crianças especiais, mas percebo que a falta do conhecimento a respeito dos benefícios de uma cadeira de rodas sob medida é o fator que explica essa forte rejeição.

Mães, uso esse espaço para falar com vocês, parem de vincular a cadeira de rodas a invalidez de seu filho. O uso desse equipamento não determina a invalidez de alguém, muito menos determina que sua criança não será capaz de caminhar.

Seu filho não pode passar horas do dia mau posicionado em cadeiras sem as devidas adaptações que o corpo dele necessita, na escola, vendo TV, fazendo as refeições, dentre demais atividades, e socialização com o mundo.

A cadeira de rodas é muito mais do que um simples assento, influencia no posicionamento do corpo, favorecendo assim funções básicas como respiração, alimentação, fluxo sanguíneo, previne dores e deformidades.

O mau posicionamento, por estar no colo ou carrinho de bebê, por exemplo, ou até mesmo em cadeiras de rodas inadequadas, pode causar perdas motoras e perdas de função.

De acordo com estudos de especialistas na área, a cadeira de rodas é considerada um equipamento terapêutico, prevenindo e revertendo deformidades, sendo uma extensão do tratamento de reabilitação.

Além dos tratamentos de reabilitação neurológica, o correto posicionamento na cadeira de rodas interfere diretamente na progressão do desenvolvimento da criança.

A correta escolha da cadeira de rodas deve ser realizada pela equipe terapêutica que acompanha o paciente, por especialista em adequação postural, determinando assim todos os itens e acessórios necessários, de acordo com cada patologia, com as deformidades já existentes e para evitar que novas apareçam.

Cadeiras de rodas adaptadas possuem custo financeiro final alto, considerando todos os itens, acessórios, e ainda as adaptações realizadas pelo profissional especialista.

Entretanto, há possibilidade da requisição judicial desse equipamento, seja contra o plano de saúde, ou poder público, a decisão do Supremo Tribunal de Justiça – STJ é favorável para concessão desse equipamento.

Não deixe seu filho mau posturado, as consequências são maiores do que aparentam.

Wanessa Ferreira Rodrigues
https://www.facebook.com/wanessa.ferreirarodrigues
 

Texto recebido no grupo Facebook.

domingo, 30 de julho de 2017

Doações no Rio de Janeiro



Itens Retirados: Roupas, móveis em bom estado de conservação, utensílios domésticos, brinquedos, livros, itens de informática, eletrodomésticos, material de escritório, entre outros. Outros itens, consultar no telefone 4003-2299.



Dias de Retirada: Segunda a sábado em horário comercial



Prazo de Retirada: Consulte aqui


Telefone para doações em Rio de Janeiro: 4003-2299



Fonte: www.exercitodoacoes.org.br

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Secretaria Especial de Direitos humanos – Violência contra o Idoso!!

Infelizmente a violência contra o idoso no Rio de Janeiro aumentou em cem  por cento em relação ao ano passado. Esse levantamento foi baseado em denúncias feitas ao Ministério Público do Rio de Janeiro.  Até o mês de maio foram registradas 1406 denuncias de maus tratos, sofridos por idosos.  No ano passado, no mesmo  período , houve 611 registros.
De acordo com o Ministério Público as mulheres idosas são as maiores vitimas e os autores das agressões geralmente pertencem a própria família.  Abandono familiar,  abuso financeiro, negligência , violência física e psicológica são alguns tipos de violência praticadas.
A ironia dessa situação é que a  cidade do Rio de Janeiro  tem em Copacabana, o maior bairro de concentração de  idosos do mundo.  A praia, a facilidade de transportes e a variedade de serviços, faz de Copa o lugar ideal para quem deseja  desfrutar de uma velhice saudável e tranquila.
O laço afetivo, familiar é um dos motivos para o idoso não denunciar os abusos sofridos e até desculpar o agressor.  Se você conhece algum idoso  que esteja sofrendo algum tipo de violência denuncie.  Disque 100.
De acordo com a Cartilha editada pela Secretaria Especial de Direitos Humanos “violência  contra idosos – o Avesso de Respeito à Experiência e à Sabedoria”  os tipos  mais comuns de agressões são os seguintes:
Violência física:  é o uso da força para compelir os idosos a fazerem o que não desejam, para feri-los, provocar dor, incapacidade ou morte.
Violência Psicológica:  Corresponde  as agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar do convívio social.
Abandono:  é uma violência que se manifesta pela ausência ou deserção, dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção e assistência.
Negligência: refere-se  à recusa ou à omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais.  É uma das formas de violência mais presentes no pais.  Ela se manifesta  frequentemente associadas a outros abusos que geram lesões e traumas físicos, emocionais e sociais, em particular, para as que se concentram em situação de múltipla dependência ou incapacidade.
Violência financeira ou econômica:  consiste na exploração imprópria ou ilegal ou ao uso não consentido pela pessoa idosa de seus recursos financeiros.
Autonegligência:  diz respeito à conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou segurança, pela recusa de prover cuidados necessários a si mesma.
Violência medicamentosa:  é administração por familiares, cuidadores e profissionais  dos medicamentos prescritos, de maneira indevida, aumentando, diminuindo ou excluindo os medicamentos.
Violência emocional e social: refere-se a agressão verbal crônica, incluindo palavras depreciativas que possam desrespeitar a identidade e a autoestima.  Caracteriza-se pela falta de respeito aos desejos, negação do acesso a amizades, desatenção as necessidades sociais e de saúde.



MALTRATAR IDOSO É CRIME! DENUNCIE!
Fátima Malheiro
fonte: Boletim da ASAPREV - RJ - 3º  trimestre de  2017
Leia também:

http://www.portelamor.com

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Portela reinaugura consultório dentário na quadra, neste sábado

Uma grande ação social no próximo sábado (29), das 16h às 18h, vai marcar a reinauguração do consultório odontológico da Portela. Na ocasião, uma equipe de profissionais liderada pela dentista Hellen Mary Costa vai oferecer gratuitamente aplicação de flúor e dar dicas de higiene bucal para crianças de 2 a 12 anos. Para ser atendido, o menor deverá estar acompanhado de um responsável legal, que vai precisar apresentar identidade, CPF e comprovante de residência. O evento será aberto para o público em geral.


"Estamos muito felizes com a reabertura do nosso consultório dentário. É uma iniciativa muito importante, porque dará chance para nossos componentes com menos recursos de poder fazer tratamento e ter acompanhamento com uma profissional especializada, no caso a doutora Hellen, a quem quero agradecer muito pela parceria. Nossa ideia com o tempo é ampliar cada vez mais a quantidade de pessoas atendidas pelo projeto", revela o presidente Luis Carlos Magalhães.

Já a partir do dia 12 de agosto, sempre aos sábados, de 9h ao meio-dia, o atendimento será estendido para componentes da Portela de todas as idades, com a distribuição de dez senhas por sábado. Serão disponibilizados serviços de limpeza, restaurações, extrações simples, além de orientações sobre higiene bucal. Os interessados deverão sempre apresentar identidade, CPF e comprovante de residência. Inicialmente, o objetivo é priorizar o atendimento para os integrantes dos segmentos da escola e desfilantes. Nos próximos meses, a meta da diretoria é ampliar para o público em geral.

"Estou extremamente feliz de poder participar dessa iniciativa. Cuidar do sorriso e do bem-estar das pessoas não tem preço. Será uma grande oportunidade para quem está precisando se consultar com um dentista", diz Hellen Mary.

A quadra da Portela fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira.


Legenda da foto: Dentista Hellen Mary será a responsável pelos atendimentos
Crédito: Divulgação 


Fonte: www.gresportela.com.br

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Campanha Coração Azul no Brasil

Com o lema "Liberdade não se compra. Dignidade não se Vende. Denuncie o Trafico de Pessoas", a versão brasileira da campanha Coração Azul tem a cantora Ivete Sangalo como Embaixadora Nacional da Boa Vontade para Prevenção e Combate ao Tráfico de Pessoas.
O lançamento da campanha Coração Azul no Brasil aconteceu em maio de 2013 e contou com a participação do Diretor Executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Yury Fedotov. Segundo ele, o tráfico de pessoas envolve milhões de vítimas e gera bilhões de dólares para redes criminosas.
"Nenhum país consegue escapar desse crime terrível que viola diretamente os mais fundamentais direitos humanos. O tráfico de pessoas pode acontecer no seu país, na sua cidade, na sua rua, até mesmo na sua própria casa. É exatamente por isso que foi criada a Campanha Coração Azul, para conscientizar as pessoas a nível mundial sobre esse problema que está ao nosso redor. Portanto, todas as nações têm a responsabilidade de confrontar o tráfico de pessoas", disse Fedotov.
Com o lançamento da campanha, o país se insere na mobilização internacional contra esse crime. No Brasil, de 2005 a 2011, foram investigadas 514 denúncias desse crime. Dois terços - 344 - dos inquéritos são relacionados com trabalho escravo. Outros 157 são de tráfico internacional e 13 investigaram tráfico interno de pessoas, modalidade em que o índice de denúncia é muito baixo. A atuação do Estado brasileiro resultou no indiciamento de 381 suspeitos. Por causa de limites da legislação e de dificuldades em reunir provas, apenas 158 foram presos.


O Diretor Executivo do UNODC, Yury Fedotov, o ministro da Justiça, José Cardozo, e a cantora Ivete Sangalo formalizam o lançamento
Além do empenho dos governos e dos organismos internacionais, o enfrentamento ao tráfico de pessoas exige a mobilização da sociedade e a conscientização de cada pessoa. Cada cidadão tem o dever de denunciar.
Para isso, o governo disponibiliza a rede de núcleos e postos estaduais e municipais de enfrentamento ao tráfico de pessoas, a rede consular para apoio no exterior, os serviços Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos, o Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Também é possível se comunicar com a Coordenação de enfrentamento ao Tráfico de Pessoas da Secretaria Nacional de Justiça pelo e-mail de informação: traficodepessoas@mj.gov.br ou pelo e-mail de denúncia da Polícia Federal: urtp.ddh@dpf.gov.br.
Com a adesão, o Brasil se compromete a disponibilizar meios de divulgação e mobilização da sociedade para a luta contra o tráfico de pessoas. Todo mundo pode participar: curta o Coração Azul no Facebook, adote esse símbolo no seu perfil ou na página da sua empresa. Use o coraçãozinho na lapela. Ajude a promover a campanha em suas rede sociais e combata esse crime.

Siga o Coração Azul

Ao seguir o Coração Azul você pode mudar a sua foto do perfil no Facebook, conectar-se por meio do Twitter ou assistir a vídeos sobre o tráfico de pessoas no YouTube. Participe e apoie virtualmente a campanha Coração Azul.

domingo, 16 de julho de 2017

Você sabe como se defender do crime de racismo?

Confira a cartilha produzida pela Defensoria Pública do Rio de Janeiro que  esclarece como se defender do crime de racismo. A cartilha menciona que  em caso de racismo, a primeira dica é reunir todas as provas do ocorrido, como por exemplo fotos, vídeos, os dados principais do agressor (como nome, endereço, telefone) e de quem eventualmente tenha testemunhado o fato, detalhes do local onde aconteceu a discriminação, anúncios e reportagens que possam comprovar etc.
Após, deve-se procurar pela Delegacia de Polícia mais próxima, com a companhia das testemunhas e das provas que existirem. A partir daí, realize o Registro de Ocorrência Policial e, ao fim, solicite uma cópia deste documento. Depois, compareça à Defensoria Pública munido de toda a documentação reunida para que sejam tomadas as demais medidas jurídicas cabíveis.
Ainda, o documento esclarece a diferença de racismo e injuria racial e as diversas formas de racismo.
Fonte: www.emporiododireito.com.br/DPERJ

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Ação Social próximo sábado no Rio de Janeiro

São João de Meriti

Endereço: Avenida do Comércio – na Praça de Jardim Metrópole - RJ 
Horário: A partir das 09 horas


Belford Roxo

Endereço: Escola Municipal José Pinto Teixeira, Rua dos Engenheiros, s/nº - Recantus – Belford Roxo, RJ 
Horário: A partir das 09 horas

Cinelândia
Endereço: Cinelância - Centro do Rio de Janeiro (em frente à Câmara dos Vereadores) 
Horário: A partir das 09 horas
 
Ações sociais são aquelas solicitadas por instituições, associações e congêneres para a participação da Defensoria Pública, com a finalidade de fornecer orientações jurídicas, expedir ofícios de gratuidade e elaborar petições iniciais sem complexidade aos hipossuficientes e vulneráveis daquela localidade, que ocorrem nos fins de semana e feriados. Nessas ações, os interessados podem obter segunda via de documento de identidade, de certidões de nascimento e de casamento, de habilitação para casamento e obter esclarecimentos em questões de direito de família, cível e do consumidor. É a Defensoria Pública indo ao encontro da população para cumprir sua missão constitucional de prestar atendimento jurídico de qualidade a quem precisa!
Email para contato - acaosocialdpgerj@gmail.com

Fonte: www.defensoria.rj.def.br

terça-feira, 27 de junho de 2017

Pessoas em situação de rua recebem carteira de trabalho nesta quarta

Um grupo de pessoas em situação de rua participa, nesta quarta-feira (28), da cerimônia de formatura da primeira turma do Projeto Resgate, destinado à capacitação e à inserção no mercado formal de trabalho. Todos os formandos receberão certificados de conclusão, carteiras de trabalho e currículos já elaborados, para distribuir a possíveis empregadores. Estarão presentes no evento o defensor público-geral do Estado, André Castro, e o prefeito do Rio, Marcelo Crivella. 
Fruto de parceria entre a Defensoria Pública do Rio e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, o projeto oferece, em encontros semanais, informações sobre direitos trabalhistas, documentação necessária, comportamento em ambiente de trabalho, espírito de equipe e noções de higiene.  A proposta visa também cadastrar os alunos em sites de emprego, na tentativa de identificar vagas compatíveis com o perfil de cada um. Alguns deles, inclusive, têm formação e experiência profissional em atividades como pedreiro, auxiliar de serviços gerais e segurança.  
 
– Esse é um projeto que busca não só resgatar a autoestima dessas pessoas, mas, principalmente, ter alcance prático, capacitando-os para o que é básico no dia a dia profissional e, sempre que possível, ajudando-os a conseguir emprego formal – explica a defensora Carla Beatriz Nunes Maia, do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos, e uma das responsáveis pelo projeto.
Logo após a solenidade de entrega dos certificados e das carteiras de trabalho, terá início a primeira aula da segunda turma do projeto, que acontece nas dependências da Defensoria Pública, no Centro.
Serviço
Cerimônia de conclusão de curso da primeira turma do Projeto Resgate
Dia 28, quarta-feira, às 10h
Sede da Defensoria Pública – Avenida Marechal Câmara 314 – auditório do 2º andar – Centro


Todos passaram por capacitação profissional no projeto Resgate, realizado pela DPRJ e a Prefeitura do Rio
 
Fonte: www.defensoriarj.def.br

sábado, 24 de junho de 2017

Prefeitura lança campanha “Aleitamento Materno - Doar é um gesto que salva vidas”



A Prefeitura do Rio lançou no sábado, 27 de maio, a campanha "Aleitamento Materno – Doar é um gesto que salva vidas". O objetivo é conseguir o maior número de doações e garantir a alimentação dos bebês internados nas maternidades da cidade. O lançamento foi no posto de coleta de leite humano da Clínica da Família Bárbara Mosley, no Anil, em Jacarepaguá, onde cerca de 120 mães que estão amamentando compareceram para fazer a doação, a maioria delas pela primeira vez.

"É uma campanha cultural. Queremos pedir às mães do Rio de Janeiro que nos ajudem doando o melhor alimento que tem, que é o leite materno", disse o prefeito Marcelo Crivella, que lançou a campanha junto com o secretário de Saúde, Marco Antonio de Mattos, e entregou pessoalmente o certificado de doadora a algumas mães que fizeram a doação neste sábado, como Bruna da Silva Aguiar. 

O leite materno é o alimento ideal para os bebês, mas nem todas as mulheres conseguem amamentar. O entreposto de leite humano da CF Bárbara Mosley, recém-inaugurado, está com estoque baixo. Atualmente, a unidade - que desde o pré-natal esclarece e estimula as mães a doarem o leite após o nascimento dos bebês - tem 23 mães doadoras cadastradas e, por semana, envia 4 litros de leite para a Maternidade Leila Diniz, na Barra. A meta é chegar a 10 litros semanais.

Uma das primeiras doadoras cadastradas na CF Bárbara Mosley, a agente comunitária de saúde Joice Veloso Barbosa teve sua filha Isabele há nove meses na Maternidade Leila Diniz. Foi lá que ela viu a dificuldade das mães de bebês internados na UTI neonatal e, ao voltar ao trabalho na clínica, após a licença maternidade, começou a fazer as doações: "Doar leite é doar vida", ressaltou.

Rosane Maria da Silva Nascimento saiu de Paciência para doar seu leite na clínica da Família do Anil. Seu filho, Luiz Miguel, que hoje tem dois meses, nasceu prematuro e, ao viver essa situação, ela percebeu a importância do leite doado para as mães que não conseguem amamentar e vivem a tensão da fragilidade dos filhos.

O que é preciso para ser doadora:

Para ser uma doadora de leite materno, é exigido que a candidata esteja em boa saúde, não use medicamentos, álcool ou drogas, não seja fumante, e apresente exames do pré ou do pós-natal comprovando estar apta clinicamente. Na primeira doação, feita no posto de coleta, as mamães recebem um kit com frascos estéreis, gorro, máscara, gaze e fazem a higienização adequada das mãos e dos mamilos.

Os Bancos de Leite Humano (BLH) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) são centros especializados, responsáveis pela promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. O leite humano doado passa por um processo de pasteurização e todo controle de qualidade para ser utilizado pelos bebês internados nas unidades neonatais.

As doações podem ser feitas nos seguintes postos de coleta ou bancos de leite:

Postos de Coleta de Leite Humano:

Região da Zona Sul e Adjacências

· Centro Municipal de Saúde Doutor Albert Sabin

Estr. da Gávea, 250 - Gávea

· Clínica da Família Roberto Correia Lima
Rua São Clemente 312 - Botafogo

Região da Leopoldina

· Centro Municipal de Saúde Samora Machel

R. Principal, s/n - Parque Maré

· Centro Municipal de Saúde Nagib Jorge Farah
Praça Michael Cheib, s/n - Jardim America

· Centro Municipal de Saúde Iraci Lopes
Rua Antônio Mendes, 02 - Sobrado - Vigário Geral

· Centro Municipal de Saúde Américo Veloso

Rua Gerson Ferreira, 100 - Ramos

· Centro Municipal de Saúde João Cândido

Av. Lobo Junior, 83, Penha Circular

· Centro Municipal de Saúde Hélio Smidt

Rua Tancredo Neves, s/n - Maré

· Clínica da Família Adib Jatene

Av. Canal, 364 - Maré

· Clínica da Família Joãozinho Trinta
R. Anamá, 55 - Vigário Geral

· Clínica da Família Aloysio Augusto Novis
Av. Brás de Pina, 651 - Penha Circular

Região do Grande Méier

· A coordenação de saúde da área disponibiliza carro que roda toda quarta-feira, pela manhã, para recolher leite humano de nutrizes cadastradas como doadoras nas unidades de Atenção Primária da região.

Região de Madureira e Adjacências

· Centro Municipal de Saúde Flávio do Couto
Rua Lúcio José Filho, s/n – Parque Ancheita

· Clínica da Família Ana Maria Conceição dos Santos Correia
Avenida Vicente de Carvalho, 1086 – Vila Cosmos


Região de Jacarepaguá e Adjacências

· Clínica da Família Barbara Mosley Souza

Avenida Otávio Malta, s/n - Anil


Região de Bangu e Adjacências

· Clínica da Família Antônio Gonçalves

Avenida Brasil, s/n - Realengo


Bancos de Leite Humano da Rede Municipal:

• Hospital Municipal Rocha Faria

Av. Cesário de Melo 3215 - Campo Grande

• Maternidade Alexander Fleming
Rua Jorge Schimidt 331 - Marechal Hermes

• Maternidade Carmela Dutra
Rua Aquidabã 1037 - Lins de Vasconcelos

• Maternidade Fernando Magalhães
Rua Gen.José Cristino 87 - S. Cristóvão

• Maternidade Herculano Pinheiro

Rua Andrade Figueira s/n° - Madureira

• Maternidade Leila Diniz
Av. Ayrton Senna 2000 - Barra da Tijuca  

domingo, 18 de junho de 2017

Programa de DNA

A Defensoria Púbica Geral do Estado do Rio de Janeiro, Instituição responsável pela assistência jurídica integral e gratuita às pessoas carentes, de forma pioneira implantou, desde 1996, o Programa de DNA representado pela Coordenação DNA/DPGE, localizado no  Fórum Antigo Leopoldina, em Olaria, que realiza exames IN VIVO e POST MORTEM para Investigação de Paternidade, Maternidade, retificação de óbito e comprovação de vinculo genético de parentesco, objetivando garantir o direito de cidadania através da informação de origem paterna/materna.

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro reserva parte de sua verba orçamentária para a contratação do Laboratório prestador de serviço especializado nesta investigação, atualmente o Medgen Tecnologia Avançada em DNA. 

Procedimentos para a realização do exame de DNA
Os Assistidos serão direcionados a esta Coordenação, através de Ofício de encaminhamento dos Defensores Públicos em exercício nas Varas de Família (em casos de propositura de ação ) e Núcleos de 1º atendimentos , à Rua Lucena s/nº Olaria, RJ (Forum Antigo Leopoldina), Telefones: 2332-2296 e 2332-2294, – Rio de Janeiro, para realização do exame, portando original e cópias da documentação, não sendo necessário cadastramento prévio, exceto nos casos de comarcas do Interior.

OBS: Os assistidos das Comarcas do interior devem ser agendados e cadastrados por telefone (2332-2296 e 2332-2294) no momento do atendimento pelo órgão de origem do encaminhamento, devendo este encaminhar para o e-mail dna.dpgerj@gmail.com a documentação escaneada e necessária para o cadastramento, momento em que será informado ao órgão o número do atendimento

Download da Resolução 669

Documentação necessária:
 Ofício de Encaminhamento (original e 3 copias)
   RG, CNH ou CTPS (original e 2 copias)
   Registro de Nascimento, quando menor de idade (original e 2 copias)
   1 copia do comprovante de residencia
   1 copia do CPF
   2 copias da certidão de obito (em caso de suposto pai ou suposta mãe falecidos)
   1 copia da petição inicial (e contestação, se possível), em casos de ação proposta.
 
Dias de cadastramento:
De acordo com os critérios estabelecidos na Resolução 669 de 25 de Outubro de 2012 (publicada no DO de 01 de novembro de 2012)  os dias de cadastramento são:

Dias: Terças-feiras e Quintas-feiras 
Horário: de 10:00 às 14:00

Munidos dos documentos solicitados para realização do exame. A data de entrega de laudo será informada aos assistidos no momento do atendimento.
OBS: 
Assistidos das Comarcas do interior devem ser agendados por telefone (2332-2296 e 2332-2294) no momento do atendimento no órgão de origem do encaminhamento, em vez de se dirigirem diretamente a Coordenação de DNA.

Coordenação Geral DNA: Gabriela Fernandes de Araujo
Secretária: Andréia Cardoso Ferreira

Fonte: www.defensoria.rj.def.br